Pela primeira vez em 15 anos, interesse por aluguel de imóveis é maior do que o de compra


A economia em retração fez o preço dos imóveis subir menos que a inflação em 2015. Os números graúdos do mercado imobiliário ficaram lá em 2011, quando o preço dos imóveis chegou a subir 26%. Agora, com a economia em retração, a inflação alta, desemprego subindo e pouco crédito, o mercado imobiliário está vendo reflexos ruins.


O preço médio de venda dos imóveis terminou o ano de 2015 com alta de 1,32%, segundo a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). É a menor alta anual registrada pelo FipeZap, cuja série histórica foi iniciada em 2010. Como a inflação no período é de 10,72%, o preço médio do metro quadrado apresentou queda real de 8,48% no ano passado. Em 2014, o aumento do preço médio foi de 6,7%, considerando as 20 cidades pesquisadas, entre elas Vitória e Vila Velha.


Assim, os preços dos imóveis chegaram ao final do ano com aumento em ritmo menor que os demais preços da economia – isto é, em queda real.


Com os preços caindo nesse ritmo, o mercado está muito devagar. Isso porque muita gente investiu em imóveis quando o preço estava alto e agora ninguém quer baixar o valor da casa ou do apartamento. Quem aceita baixar é porque reconhece que está de fato muito difícil de vender.


Quem tem dinheiro para pagar à vista, é o melhor momento para fazer isso. Existe muito imóvel em estoque para venda por construtoras. Mas é bom lembrar que, em caso de financiamento pela caixa, é preciso ter 50% do valor do imóvel para dar de entrada.


Com a desvalorização do real, muitos capixabas que moram no exterior, por exemplo, têm aproveitado para comprar imóveis no Espírito Santo. E não são milionários ou altos executivos.


São pessoas que moram principalmente nos Estados Unidos, que têm empregos simples em restaurantes e em obras, mas com a alta do dólar, viram o poder aquisitivo aumentar.


Com renda mensal média de US$ 5 mil dólares, hoje estimada em R$ 20 mil, os compradores têm apostados em imóveis localizados na Grande Vitória, de médio a alto padrão, com potencial de valorização.


Entre as regiões mais procuradas está Itaparica, em Vila Velha, local onde é possível encontrar unidades residenciais com preços a partir de R$ 240 mil.


Outro dado relevante: pela primeira vez em 15 anos, o interesse por aluguel é maior do que o de compra de imóveis, segundo levantamento feito com base nas buscas do portal ZAP. A baixa confiança do consumidor e a escassez de crédito provocaram esse aumento na busca por aluguel nos últimos 12 meses.


Segundo Eduardo Schaeffer, presidente do ZAP, cerca de 13 milhões de pessoas fazem 70 milhões de buscas no site por mês. Até dezembro de 2014, 60% das buscas eram destinadas à compra e 40% a aluguel. Um ano depois, o quadro se inverteu: 62% procuram imóveis para alugar e 38% para comprar.



Essa mudança da preferência do consumidor ainda não impactou nos preços dos alugueis.


Fonte:

http://www.gazetaonline.com.br/_conteudo/2016/01/cbn_vitoria/comentaristas/lucia_goncalves/3920466-pela-primeira-vez-em-15-anos-interesse-por-aluguel-de-imoveis-e-maior-do-que-o-de-compra.html


Gostou da matéria? Clique aqui e faça sua Avaliação. Ajude outros locatários!


Posts Destacados 
Posts Recentes 
Siga nos
  • Wix Facebook page
  • Wix Twitter page
  • Wix Google+ page
Procure por Tags